O guia do santuário ecológico

O guia do santuário ecológico

Científico

Artigos
Estudos

Busca

Galeria de Fotos

Pantanal de Miranda PDF Imprimir E-mail
O pantanal de Miranda apresenta os seguintes limites: ao norte, o pantanal de Abobral; ao sul, as florestas chaquenhas do município de Porto Murtinho; a leste, o pantanal de Aquidauana; e a oeste, a Serra da Bodoquena e o pantanal de Nabileque.

A vegetação é do tipo savana, mata e campo. Aqui, surgem em forte concentração o carandá e, especialmente, o paratudo (Tabebuia caraiba), este formando os famosos paratudais.

A savana de Miranda lembra muito a vegetação chaquenha, havendo considerável sobreposição de espécies do território paraguaio com aquelas do território brasileiro.

Os solos do pantanal de Miranda são limo-argilosos e arenosos, com acentuada predominância do primeiro tipo.

Por essa razão, várias espécies forrageiras que faltam no pantanal de Aquidauana são aqui encontradas. O campos limpos de Miranda exibem ótimas espécies forrageiras, havendo também presença considerável de espécies menos palatáveis na pastagem.
 
As pastagens deste pantanal são principalmente povoadas por Panicum laxum, Hymenachne amplexicaulis, Hemarthria altissima, Leersia hexandra e Paspalum almum.

Em áreas onde existe solo arenoso, aparecem as mesmas forrageiras características dos pantanais de Aquidauana, Nhecolândia, Abobral, Cáceres e Paiaguás, isto é, Axonopus purpusii e Reimarochloa spp.

O canjiqueiral, associação formada por canjiqueira e capim-mimoso, predomina em terrenos arenosos. Estas áreas de solos arenosos, em Miranda, configuram-se de certa maneira como bolsões, ilhadas pelo terreno limo-argiloso circundante.
 
FONTE:
Recursos Forrageiros nativos do Pantanal mato-grossense, por Antonio Costa Allem e José Francisco Montenegro Valls. Brasília, 1987. (EMBRAPA-CENARGEN. Documentos, 8)
 
 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack