O guia do santuário ecológico

O guia do santuário ecológico

Científico

Artigos
Estudos

Busca

Galeria de Fotos

Pesca - a Rota Oeste PDF Imprimir E-mail

O eixo da Rota Oeste é a rodovia BR-262 que liga Campo Grande a Corumbá. Indiscutivelmente é o caminho do Pantanal que mais atrativos apresenta ao pescador.

Pela BR-262 Aquidauana está a 100 km de Campo Grande. Localizada na margem direita do rio Aquidauana, a cidade tem uma boa infra-estrutura e também é servida por linhas regulares de ônibus oriundas das principais cidades da região e da capital Campo Grande.

Para as águas a montante da cidade, o período da piracema compreende os meses de novembro a fevereiro. Isto quer dizer que no rio Auquidauana no trecho acima da cidade, só é permitida a pesca a partir do mês de março. Portanto se a sua passagem por este trecho for fora do perído de piracema, vale a pena conferir o Pesqueiro 110, a 110 km de Campo Grande. Com pequena estrutura, o pesqueiro é confortável e receptivo para pescaria embarcada ou de barranco no rio Aquidauana em águas já denominadas "cabeceiras de rio".

No trevo de Aquidauana / Anastácio que sai uma variante à esquerda para Nioaque, vale a pena conferir a pescaria na Ponte do 21, no rio Miranda. A variante que dá acesso a este local está justamente a 21 quilômetros do trevo de Aquidauana indo em direção a Nioaque. Por estrada de chão batido e por mais 30 km aproximadamente, chega-se às margens do rio Miranda. Nos arredores existem vários campings e ranchos de pesca. Para quem ama a rusticidade da acomodação e a simplicidade da pescaria econômica, o local é um paraíso.

Para visitar 

  • Pesqueiro Arizona
  • Pesqueiro e Camping Yamada
  • Pesqueiro Jatobá

A partir do trevo de Aquidauana / Anastácio em direção a Miranda, nos primeiro quilômetros, avistam-se no lado direito, várias placas chamativas de pousadas e campings. Estes, localizados a cerca de 30 km por estrada de terra, às margens do rio Aquidauana, possuem estrutura confortável para pescarias tanto embarcadas, já que o rio se torna bastante navegável, quanto para pescaria de barranco.

Para visitar 

  • Pesqueiro Aquapé
  • Pousada Toca da Onça

Miranda, a 210 km de Campo Grande está localizada a meio caminho entre a capital e Corumbá, pela BR-262. Uma das mais importantes cidades pantaneiras, à margem direita do rio Miranda, tem grande estrutura hoteleira, um pequeno aeroporto a 2 km do centro, estação rodoviária e todos os demais serviços indispensáveis a uma região preparada para receber turistas, em especial os pescadores. Mesmo para os que prosseguem viagem, a cidade é um ótimo ponto de apoio ao pescador. É hora de conferir combustível, tomar informações sobre iscas, peixes, últimas chuvas, níveis de rios, etc. antes de prosseguir viagem. Do lado oposto da cidade, existe a ponte sobre o rio Miranda que dá acesso às terras da Serra da Bodoquena. É caminho também para acesso aos pesqueiros localizados na região de Chapena, Betioni e Aldeia dos Índios, rio Miranda acima. A maioria dos hotéis localizados na cidade, na beira do rio ou mesmo na área urbana, podem conduzir os pescadores até estes locais de pesca com ajuda de pequenas carretas para transporte de barcos, motores de popa e a tralha do pescador.

Ao ecoturista vale lembrar que a partir de Miranda saem grupos ecológicos, formados pela agências de turismo locais para visitas a Reserva Indígena Kadiwéus e ao Refúgio Ecológio Cayman. Vale a pena conferir.

Para visitar 

  • Hotel Beira Rio
  • Hotel Pantanal
  • Hotel Pesqueiro da Shirley
  • Hotel Chalé
  • Ecoturismo:
    • Águas do Pantanal- Agência
    • Refúgio Ecológico Cayman
 
 
Joomla 1.5 Templates by Joomlashack